Minha proposta é pensar o processo criativo/processo discursivo do artístico nas imagens em movimento de curta- metragens e documentários vinculados no campo da arte, compreendendo o acontecimento discursivo/gestos de interpretação em constante deslocamento e desestabilização, como materialidade discursiva. Segundo o mestre Pêcheux, “só por sua existência, todo discurso marca a possibilidade de uma desestruturação-reestruturação dessas
redes e trajetos: todo discurso é o índice potencial de uma agitação nas filiações sócio-históricas de identificação, na medida em que ele constitui ao mesmo tempo um efeito dessas filiações e um trabalho (…) de deslocamento no seu espaço: não há identificação plenamente bem sucedida, isto é, ligação sócio-histórica que não seja afetada, de uma maneira ou de outra” (1990, p. 56/57). Por isso, segundo o autor, a AD toma a imagem por outro viés: “não mais a imagem legível na transparência, por que um discurso a atravessa e a constitui, mas a imagem opaca e muda, quer
dizer, aquela da qual a memória “perdeu” o trajeto de leitura.” (PÊCHEUX, 1999, p. 55).

Coordenador(a): Profa. Dra. Nádia Régia Maffi Neckel