O cinema constitui-se como espaço privilegiado para o investimento de corpos biológico, sociocultural e político do sujeito professora mulher enquanto superfície de inscrição material e discursiva. Sob essa temática, este projeto se fundamenta no arcabouço teórico da Análise do Discurso franco-brasileira, em intersecção com as teorias História do corpo, os Estudos de Gênero e as teorias do cinema. O corpus da pesquisa é composto por materialidades fílmicas, nas quais se inscrevem corpos do magistério feminino. O objetivo da pesquisa é apreender, explicitar e compreender o modo como o dispositivo da “pedagogia da generificação performática”, distribui e regula a prática discursiva cinematográfica sobre o sujeito professora mulher na contemporaneidade, que, sob o exercício da biopoder e da biopolítica, tenciona representações de gênero   historicamente construídas e, por outro lado, as rupturas que buscam afirmar-se como resistência no corpo do magistério feminino. Assim, espera-se que esta pesquisa, de cunho bibliográfico, qualitativo e de análise de corpora, mapeie o funcionamento do dispositivo que age estrategicamente na produção de corpos normalizados da professora mulher, materializados no e pelo discurso cinematográfico.

Palavras-chave: Discurso cinematográfico. Sujeito professora mulher. Corpo normal. Biopolítica.

Vigência: 2017-2020

Coordenadora: Tacia Rocha – Orientadora:  Profª. Dra. Ismara Eliane Vidal de Souza Tasso