Este projeto tem por temática geral a inclusão/exclusão em práticas discursivas da Modernidade e da Contemporaneidade, especialmente a partir da segunda metade do século XIX. O quadro composto por essas práticas restringem-se àquelas cujas inscrições estejam vinculadas aos seguintes campos: educacional, sociocultural, linguístico, artístico e das políticas afirmativas, além da condição de terem sua circulação nas mídias impressa, televisiva, cinematográfica e eletrônica. Trata-se de um projeto que compreende as pesquisas desenvolvidas pelo Grupo de Estudos em Análise do Discurso – GEDUEM (CNPq/UEM). Sob os fundamentos teórico-metodológicos da Análise do Discurso de linha francesa e de seus desdobramentos no Brasil, articulados aos preceitos da Linguística, da Semiótica peirceana, das Ciências Sociais, das Artes e da História, o projeto tem por objetivo estudar e promover reflexões teórico-analíticas sobre os modos como a Biopolítica e o Biopoder intervêm na constituição identitária e de representação do brasileiro. O tema geral será abordado em subtemas compreendidos em cinco eixos temáticos, assim delineados: (1) (A)normalidades em corpos (in)disciplinados: regimes de verdade; (2) Identidade e representação étnica em contradição; (3) Políticas Linguísticas e afirmativas; (4) Práticas identitárias e discursivas nas mídias e, (5) Superfícies de inscrição da materialidade discursiva verbal, visual e audiovisual. Assim, configurado, o presente projeto dá continuidade às pesquisas sobre a temática, iniciadas em 2004, com o desenvolvimento do Projeto “Práticas Identitárias na Pós-modernidade: Discurso, sentido e mídia” (UEM/Fundação Araucária).

Vigência: 2012-2015

Coordenador(a): Profa. Dra. Ismara Eliane Vidal de Souza Tasso