Neste trabalho propomos a investigação da condição linguística do estado do Paraná, mais especificamente a forma como as escolas que se localizam em regiões bi/multilíngues lidam com essa realidade, especialmente no que diz respeito à (não) elaboração e/ou (não) aplicação de políticas linguísticas adequadas ao contexto a que elas se referem, para posterior proposição de formação continuada junto aos docentes dessas escolas. Em termos metodológicos, neste trabalho optamos por utilizar a pesquisa qualitativa, de perspectiva etnográfica (BOGDAN; BIKLEN, 1994, p. 7). Até o presente momento, os resultados levantados permitem afirmar que, no estado, as práticas político-pedagógicas, em geral, não consideram adequadamente (atendendo as necessidades e desejos expressos pela comunidade) o bi/multilinguismo (e multiculturalismo) existente no estado.

Vigência:

Coordenador(a): Profa. Dra. Letícia Fraga