O Projeto de Iniciação Científica financiado pela CAPES, cujo objetivo compreender o modo como a transexualidade infantil é discursivisada no filme francês Ma vie en rose, dada a atualidade e emergência que o tema impõe ao espaço educacional e à sociedade como um todo. A opção pela materialidade fílmica como objeto de investigação deve-se à falta deste componente curricular na grade do curso de Letras, habilitação português-francês, e ser o cinema uma mídia de excelência para além do entretenimento, um dispositivo de congregação entre saberes ?tecnocientífico? (LUZ, 2007), discursivos e político-culturais para o dizer da sociedade sobre o corpo e a sexualidade. Sob tal conjuntura, o cinema é, sobretudo, um espaço visual, de expressão político-social, no qual o discurso se consolida por condições de emergência e de (co)existência, projetando o corpo como condição de possibilidade à visibilidade do espetáculo. Diante disso e da asseveração de que ocorreram mutações importantes no regime do dizer e do olhar o corpo a partir de 1968, interessa-nos, subsidiadas pelo escopo teórico da Análise do Discurso franco-brasileira, avaliar a produção cinematográfica francesa sob o status de vanguarda na abordagem do tema eleito, cuja inscrição se encontra na ordem da biopolítica. Para a prática analítica, servir-nos-emos dos procedimentos foucaultianos focados nos conjuntos crítico e genealógico.

Vigência: 2014-2015

Coordenador(a): Maraisa Daiana da SilvaOrientadora: Profa. Dra. Ismara Eliane Vidal de Souza Tasso