A partir da coleta de dados dos vestibulares indígenas faremos a observação do desenvolvimento de leitura e escrita que os sujeitos indígenas possuem ao se apresentarem como indivíduos falantes da língua portuguesa. Identificaremos, ainda, de que modo a contradição se exerce na língua indígena considerando o contexto ao qual o índio está inserido. Desta forma, tentaremos compreender o modo de constituição identitária e de representação que são estabelecidos em redações dos vestibulares. Por fim, elegeremos dez aspectos que configuram as principais dificuldades de leitura e de escrita do vestibulando indígena. Para isso, utilizaremos a bibliografia sobre as concepções de leitura, linguagem, língua escrita, e também sobre os pressupostos teóricos da Análise do Discurso.

Vigência:

Coordenador(a): Luana de Souza Vitoriano – Orientadora: Profa. Dra. Ismara Eliane Vidal de Souza Tasso